terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

COMPENSANDO TREINO PERDIDO III



Outra boa opção de treinamento quando não conseguir ir para rua, é as escadas de seu prédio ou de outro lugar qualquer, sei de muitos atletas que já utilizaram dessa artimanha.



Trabalhos em escada são eficientes, trabalham a coordenação motora, fortalece músculos importantes que podem fazer sua corrida desenvolver com uma mecânica melhorada, vamos a alguns benefícios:



  • Você se obriga a erguer as pernas para subir o degrau fortalecendo músculos responsáveis por esse movimento, muitos corredores fazem aquele trote quase sem dobrar os joelhos e depois que adquirem condicionamento cardiorrespiratório não conseguem executar uma corrida eficiente;
  • Devido ao tamanho do degrau e a posição que se encontra no momento da pisada, você é obrigado em aterrizar os pés do meio para ponta, como deve ser feito na corrida;
  • A cada subida você fica nas pontas dos pés, atuando diretamente nas panturrilhas e outros músculos que vão te ajudar na corrida;
  • Devido à inclinação com a sobrecarga natural do corpo, facilmente conseguimos elevar a frequência cardíaca e atingir índices pré estabelecidos como trabalho aeróbio, anaeróbio, etc.;

Cuidados:



  • As melhores escadas são as largas e arejadas, qualquer cidade possuem ginásios públicos onde pode se fazer esse treinamento, escada em prédios também são boas, o inconivente são prédios com porta corta fogo e interruptores de luz que precisam ser tocados para acender a luz;
  • Trabalhos intervalados são os melhores, pois a frequência cardíaca sobe muito rápido;
  • Evite descer correndo, faça o trabalho só subindo e desça devagar;
  • Normalmente quando fazemos tiros em pista ao terminar temos a sensação de inchaço nas pernas, acúmulo de ácido lático e por isso fazemos a soltura, na escada não é diferente, mas como estamos compensando o treinamento por algum motivo externo tipo chuva deve pensar em uma maneira de voltar à calma e remover de forma ativa o ácido lático acumulado;

Bons treinos e até!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Compensando Treino Perdido II

Segue mais dois modelos de trabalho.

O maior segredo é ter vontade de treinar, seja lá a hora ou o local que for. Os dois vídeos abaixo, mostram realmente isso e por este motivo a qualidade das imagens deixam a desejar, o local é uma garagem de prédio escura, subterrânea, um dos vídeos o cinegrafista também está compensando o treino perdido, por isso se encontra em cima da bicicleta em um rolo.

Tiros de velocidade máxima são ótimos para corredores e triatletas e normalmente não precisa de um local muito espaçoso, nesse trabalho você ativa fibras de contração rápida, trabalha coordenação motora entre outras coisas, pode variar tiros só de ida, depois ida e volta e também mesclar com educativos.

video

video
O atleta do vídeo chama-se Maurílio, categ. 50-54, corredor e triatleta amador que tem como destaque uma corrida forte, trabalha o dia inteiro de pé cortando cabelo da rapaziada e mesmo assim não deixa de treinar seja de madrugada ou mesmo a noite.

Até.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Olá, vamos então para a primeira sugestão de treino compensatórios no caso de abortar um treino de natação, ciclismo ou corrida por uma chuva inesperada ou qualquer outra circunstância. Hoje coincidentemente foi um desses dias que um temporal assolou Curitiba a partir das 17 horas com direito até a granizo!

O primeiro vídeo é um trabalho bastante conhecido chamado "Deep Running", Deep Running é um programa de exercícios praticados em piscinas, preferencialmente profundas., normalmente utiliza-se um colete, colocado na região lombar que sustenta o usuário de forma que ele flutue, mesmo estando em repouso dentro d'água.

Por possibilitar uma grande diversidade de exercícios, é utilizado na fisioterapia, hidroginástica nos treinamentos para atletas em todos os níveis. Caso não tenha uma piscina funda, pode ser realizado em piscina normal e sem o colete.

Até acostumar é melhor começar com treinos curtos de 15 a 20 minutos.

O atleta do vídeo é Anderson Santos Agenor, Pigmeu, melhor amador e nono geral no 70.3 Pucon 2012.

video

Até.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

NÃO DEIXE DE TREINAR


Estamos em temporada de chuvas de verão, chuvas fortes que muitas vezes fazem com que as pessoas tenham que alterar o plano de treinamento.  Nas redes sociais muitas pessoas reclamam da dificuldade de treinar em uma cidade como Curitiba, situação até contraditória já que a cidade tem tradição de ter grandes atletas seja no triathlon ou no ciclismo.

Bom, treinar na chuva não é tão ruim, desde que se tomem medidas preventivas como roupa adequada, iluminação de alerta nas bicicletas e principalmente alimentação e banho quente assim que finalizar o treino.

A chuva faz parte da natureza, temos que ser inteligente em relação a isso, as chuvas traz muito mais benefício aos atletas que malefícios, elas limpam o AR que respiramos, limpa os acostamentos das estradas que pedalamos, alimentam os verdes dos parques que corremos. Quem quer ser atleta é atleta o ano inteiro e não apenas quando está sol e calor. Pedir para parar de chover, ficar reclamando da chuva é ir contra a natureza.
Proponho-me aqui durante essa semana em sugerir alguns trabalhos compensatórios para quem não tem conseguido treinar por esse motivo.

Primeiramente gostaria de informar que esse artigo é direcionando para iniciantes, praticantes amadores e atletas que querem alguma sugestão para variar seu trabalho, atletas profissionais que vivem do esporte nunca deixam de treinar por questões como chuva, frio, calor, vento. Atletas amadores que com freqüência estão subindo no pódio em sua categoria que apesar de não viverem exclusivamente do esporte geralmente tem atitude de profissional para vocês também não cabe esse texto, digo isso porque quem quer treina onde, quando e como quiser independente das circunstancias.

Para quem quiser compensar o treino perdido a primeira preocupação é neutralizar a ingestão calórica diária que seria queimada com o treino, por isso a importância de fazer algo e não ficar parado, na sequência o atleta deve decidir se quer fazer um treino dentro dos objetivos fisiológicos que seu técnico tinha proposto ou optar em fazer outro trabalho como educativos ou tiros curtos de velocidades que não era o objetivo do dia, mas um bom trabalho de ser feito nessas ocasiões.

Então é isso, amanhã começarei a mostrar alguns trabalhos!

Até.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

LANCE O QUEBRADOR DE MITOS

 Lance Armstrong derrubando outro mito!

Comumente atletas quando anunciam sua aposentadoria são indagados por jornalistas e agora vai mudar de modalidade?
Aos Jogadores de vôlei de quadra: Vai para o vôlei de areia?
Aos Nadadores: Vai para águas abertas, triathlon?
Aos jogadores de futebol: Vai ser técnico?
Aos  pugilistas: Vais para o MMA?
Muitos principalmente os nadadores respondem que não, não querem saber mais de privações, concentração, treinamento sistemático, etc. Respondem que estão cansados, que a preparação para uma olimpíada judia de mais física e psicologicamente, alguns não mudam para outra modalidade porque se acostumaram a ser o melhor e não sabem como vão reagir em não ser o melhor em outra modalidade esportiva.
Lance Armstrong tem mostrado ser um dos atletas mais bem preparado e mais bem dotado física e mentalmente, possivelmente é um dos atletas no mundo que mais sofreu em suas preparações competitivas devido ao tipo de competição que participava, sem falar nas recuperações de diversas lesões e do câncer e nem por isso abandonou novos desafios. O recente ótimo resultado nos 70.3 do Panamá foi só mais um evento, Lance já obteve dois excelentes resultados em uma Maratona Oficial, já venceu algumas corridas de Montain Bike consideradas bem difíceis.
Eu que estava acostumado a ouvir aquele discurso pronto de atletas e alguns até jovens encerrando a carreiro começo a mudar minha opinião sobre esse tipo de stress que os impedem de nós como fãs os assistirem mais duas ou três temporadas mesmo que em outra modalidade.
Até.