domingo, 30 de agosto de 2009

RECUPERAÇÃO APÓS TREINO

Chamado de diferentes maneiras o treino de recuperação é de suma importância para o atleta competitivo, alguns chamam de regenerativo, outros de treino solto e assim por diante.
A finalidade da recuperação após um treino tem por objetivo restaurar os músculos e o restante do corpo em sua condição pré-treino. A recuperação inclui o reabastecimento das reservas energéticas que foram depletadas e a remoção do ácido lático que se acumulou durante o treino.
Sabemos que a velocidade de remoção do ácido lático do sangue e dos músculos pode ser grandemente aumentada realizando-se um trabalho leve, em vez de repousar, durante o período de recuperação.

Para saber:

A ressíntese completa do glicogênio muscular após um exercício de resistência requer uma alta ingestão de carboidratos durante um período ± 46 horas;

Pesquisas comprovam que 95% do ácido lático serão removidos em 1 hora e 15 minutos de repouso-recuperação, após um exercício máximo.

Trabalhar em uma intensidade entre 50 e 65% de Vo2 Máx é considerado uma intensidade ótima para a remoção do ácido lático.

Atletas de elite obtiveram bons resultados na recuperação ativa trabalhando nos primeiros minutos na faixa de 70% do Vo2 Máx e em seguida baixando para 40% do Vo2 máx.

Até.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

domingo, 23 de agosto de 2009

Lançamento!

Colegas de profissão que tiverem interesse em adquirir essa obra podem entrar em contato via um dos meus e-mails: somma.rafael@gmail.com ou rafaelsomma@hotmail.com

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Vídeos Coordenação

Segue uma sequência de exercícios feitos com "step", esse trabalho pode ser utilizado com diversas modalidades desportivas de coletivas a individuais, muito importante na hora de planejar o treino determinar tempo de duração e tempo de intervalo, conforme objetivo fisiológico.

São 6 vídeos e postarei nessa semana os 3 primeiros.

Exercício excelente para coordenação motora.

O atleta do vídeo é jogador de futebol profissional, posição meia-esquerda.

video

video

video

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Hereditariedade no Desempenho Desportivo


Domingo dia de ficar em casa e aproveitar para arrumar alguns armários. Separando o que é e o que não é lixo, encontro algumas anotações de um curso que fiz já há uns dez anos mais ou menos, como o tempo passa!

O assunto era fatores hereditários no desempenho, lembro muito bem de um dos professores dizer meio em tom sério e meio brincadeira:

“Quer um campeão olímpico? Escolha os pais e os avós primeiro!”

Realmente fatores hereditários influenciarão bastante na performance de um atleta, em 1983 MATVEEV já dizia que deveriam ser levadas em consideração as aptidões hereditárias, pois os desportos dependem muito delas, mas que o trabalho deve ser iniciado cedo para aperfeiçoar essas qualidades.

Lembrei de uma oportunidade em que tive de perguntar a um grande pesquisador Russo se os benefícios adquiridos por um atleta hoje pode ser passado já para a próxima geração? E o mesmo me respondeu que sim, mas que dificilmente traria alguma vantagem direta, mas que se as outras gerações continuassem com a pratica desportiva com certeza esse benefício seria aproveitado, resumindo se você virou atleta e seu filho também, possivelmente seu neto receberá o benefícios de tudo que você fez com seu corpo hoje.

Sinceramente eu não sei o que a Ciência diz isso hoje, afinal já são dez anos, mas por via das dúvidas cuide de você que talvez seu neto seja um campeão!!!


Até.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Porque comi doce e passei mal durante o treino?






Porque comi doce e passei mal durante o treino de corrida?

Hipoglicemia é a resposta! Quem trabalha em salas de musculação ou com aulas de ciclismo indoor, já teve que acudir muito aluno por isso.
De forma simples o que acontece é devido à ingestão de um alto nível de açúcar como chocolate ou outro doce com baixo teor de carboidrato juntando com a atividade física o organismo acaba produzindo insulina em excesso e acaba ocorrendo baixa de glicose ou excesso de insulina. Os sintomas são tontura, às vezes dor de cabeça, sono e até escurecimento da visão. Pode, em casos mais extremos, levar a alucinações, convulsões e até a morte.
Se você está iniciando um treinamento ou atividade física consulte uma nutricionista, ela é a pessoa mais indicada para o que sugerir a vocês antes, durante e depois do treino.

Até.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Começarei a postar alguns vídeos como sugestão de exercícios. Os dois atletas estão retornando ao contato com bola após cirurgia de joelho, o trabalho consiste em um atacar e o outro apenas “fingir” que está defendendo.

Objetivo: Confiança, propriocepção;
Importante: Chuteira, espaço reduzido;


video

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Velocidade de Reação


Sempre que a televisão mostra as vitórias do nadador, César Cielo é fácil de perceber a sensibilidade que o nadador tem para reagir ao sinal de largada, alguns especialistas dizem que essa qualidade é um dos fatores que o tem permitido ganhar um pouco de vantagem sobre os adversários.

É importante salientar que essa reação pode ser aperfeiçoada, mas os ganhos são mínimos, não mais que 0,1 segundo.

Uma informação que o público em geral desconhece é que as largadas tanto de natação como de atletismo são feitas a fim de favorecer o atleta, estudos comprovaram que o atleta responde mais rápido ao sinal sonoro do que o visual, que a resposta é mais rápida ao curto espaço de concentração, por isso existe uma chamada e em seguida o disparo, ex: "As suas marcas e o tiro" ou um simples "Atenção e já".

A posição que os atletas ficam tanto na natação como no atletismo foram estudadas para uma melhor resposta, certa tensão muscular, mas não é recomendado que pisem com grande esforço.

TEMPO DE REAÇÃO

Atleta: Sinal Sonoro - 0,05 - 0,16 seg.
Não Atleta: 0,15 - 0,20 seg.

Atleta: Sinal Visual - 0,10 - 0,25 seg. e mais
Não Atleta: 0,20 - 0,35 seg. e mais


Até.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Qualidade no treinamento!





As cargas e intensidades de treinamento têm mudado bastante nos últimos anos e por incrivelmente que pareça para o volume está baixando, mesmo para esportes de longa duração. Os treinadores dos grandes centros têm optado em dar mais qualidade ao trabalho, dando ênfase na intensidade, técnica e atividades complementares.

Perceberam que volumes muito alto de treinamento acabam trazendo mais malefícios do que benefícios, lesões, tempo de recuperação entre outras coisas são alguns dos exemplos.

Esportes como Triathlon trazem em seu histórico uma disputa de quem treina mais, de quem suporta mais... Esse mito de treinar muito vem caindo, principalmente pelos novos campeões, mas alguns ainda insistem em seguir aos moldes antigos.

Os treinadores e atletas têm que estar atento, saber o número de sessões e horas de treino no ciclo anual, pode ajudar! Vários são os comitês olímpicos que já tem tudo isso planificado para cada modalidade desportiva.

A percepção do treinador tem que estar bem "afinada" para saber se o atleta está treinando na intensidade desejada, utilizando a fonte energética pré estabelecida.

Os complementos em ginásio, terapias manuais, psicologia, entre outros, avançaram no espaço deixado pelo volume específico do treinamento, lembre-se esses complementos devem ser somados como sessão de treino no ciclo do atleta.

Até.

sábado, 8 de agosto de 2009

Curso


ATENÇÃO! A organização do evento está dando 40% de desconto para as pessoas que fazem parte da Associação de Treinadores de Corrida de Rua de Curitiba.


quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Porque uns chegam e outros não?


Dia atrás conversava sobre futebol com um aluno, ele comentava como achava estranho que várias futuras promessas perdiam-se pelo meio do caminho, alguns nem por indisciplina, simplesmente tornavam-se um jogador normal, mesmo jogadores que chegaram a participar de Olimpíadas, ficamos até lembrando de alguns nomes que não convém escrever aqui.


Então lembrei de ter lido alguma coisa sobre isso e vim pesquisar em meus livros, artigos e até que achei em um material do Prof. Antônio Carlos Gomes, não me causou espanto, pois já estive lá vendo como funciona, mas os Russos já pesquisaram isso há pelo menos 30 anos! O "pai do treinamento desportivo" escreveu o seguinte:


"Ao analisar a participação dos atletas nos jogos olímpicos e em outras grandes competições verificou-se que, os que alcançam altos resultados são aqueles que possuem alto nível de desenvolvimento das qualidades morais e psicológicas, os quais dominam com perfeição a técnica e a tática, e também possuem alto nível de estabilidade dos fatores competitivos. Tudo isso, condiciona a necessidade da seleção especial dos jovens possuidores de alto nível de desenvolvimento das qualidades mencionadas e capazes de atingir alto resultado na modalidade escolhida (Matveev, 1977)."


Pessoal, não basta ser craque, são vários fatores que vão diferenciar o bom do melhor!

Até.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

O Significado das Idades

Boa tarde!

Segue abaixo a definição dos tipos de idades que comentei no texto anterior, isso facilitará o entendimento e o trabalho do profissional de Educação Física.

1 – Idade Cronológica:

Protocolo criado pelo homem baseado no fator tempo (relógio, calendário, etc.), com a finalidade de facilitar a classificação do desenvolvimento humano e o relacionamento entre os povos, porém é o que apresenta as maiores distorções, pois pode haver o atraso ou a aceleração no desenvolvimento Psico-físico do indivíduo em até 2-3 anos, que é uma margem extremamente ampla quando nos referimos aos aspectos do treinamento desportivo.

2 – Idade Psicológica:

Com base em avaliação psicológica, indica o grau de maturidade do indivíduo. Em algumas modalidades desportivas isto é de vital importância para o sucesso do atleta.

3 – Idade Fisiológica ou biológica:

Esta idade demonstra com maior eficiência o nível de desenvolvimento do organismo, levando em consideração os aspectos ambientais, genéticos, alimentares, etc. Serve para avaliar as possibilidades físicas do indivíduo, sendo constatada através de testes diretos (laboratoriais) ou indiretos (protocolo regionalizados).

domingo, 2 de agosto de 2009

Preparação para Muitos Anos

Preparação para Muitos Anos

O triathlon é um esporte que quando iniciamos na categoria amadora somos separados conforme nossa faixa etária, o fato das categorias serem separadas de quatro em quatro anos, não é à toa, isso permite uma possibilidade dos concorrentes estarem em situações fisiológicas semelhantes, mas nem sempre isso acontece, alguns atletas não aparentam ter a idade que tem e isso é possível de ser notado até em categorias mais avançadas como a 45-49, um dos fatores é que a diferença fisiológica de uma pessoa nascida em janeiro para uma em dezembro do mesmo ano pode ser muito grande.
Estas diferenças necessitam de maior atenção quando trabalhamos com crianças e adolescentes, nem sempre a Idade Cronológica bate com a Idade Biológica e isso afeta diretamente no desenvolvimento e aprendizado motor do futuro atleta.

IDADE CRONOLÓGICA = idade em anos conforme a data de nascimento da pessoa.
IDADE BIOLÓGICA = idade em anos conforme o desenvolvimento fisiológico da pessoa.

Variações possíveis do desenvolvimento físico:

Idade cronológica x idade óssea
Idade cronológica x idade física
Idade cronológica x idade mental
Idade cronológica x idade neurológica

Variáveis com amadurecimento precoce, central e tardio:

Precoce: Agilidade e Velocidade;
Central: Potência Aeróbica e Anaeróbica láctica;
Tardio: Potência Anaeróbica láctica e força muscular;

Muita Atenção nas Etapas
O desenvolvimento das capacidades é mais eficaz quando as influências pedagógicas correspondem às fases mais favoráveis, características para cada faixa etária;

I- Preliminar (Promoção) = 8-11anos
II- Especialização Inicial (Identificação) = 12-14 anos
III- Especialização Profunda = 15-17 anos
IV- Alto Rendimento = 18-20 anos
V- Manutenção do Alto Rendimento = 21 e mais


Não esquecer!

A criança ou mais precisamente o talento é um ser em desenvolvimento e não um adulto em miniatura, por isso:

“O que se perde na infância jamais se recupera na adolescência e juventude, e menos ainda na idade adulta”.V.A. Sujomlinski, pedagogo Russo


“Um atleta talentoso, geralmente, possui características individuais bem definidas. Portanto, é importante, ao trabalharem-se as capacidades desportivas, que o treinamento não manche, não esconda o estilo individual do atleta”.
Fiin, Vladimir P.; Volkov, Vladimir M.



Chance de Sucesso:

A boa integração entre escola, clube e família tem sido apontada como um aspecto básico para aprimoramento do jovem atleticamente bem dotado.


Sabemos que o triathlon surgiu de um desafio em superar limites, mas com as crianças e adolescentes devemos esquecer isso e trabalhar dentro das possíveis variações de desenvolvimento do jovem atleta e sempre pensando na “construção” até o mesmo estar preparado biologicamente para obter o máximo de seu desempenho sem pular etapas do desenvolvimento.
Se não fizermos isso dificilmente seremos formadores de atletas de alto nível e dependeremos de um ou dois atletas bem preparados para representar o Brasil.

Atenção Super Curso!!!


sábado, 1 de agosto de 2009

Sejam Bem Vindos!

Sejam Bem Vindos!

Utilizarei esta ferramenta para informar sobre diversos assuntos ligados ao Esporte e Desempenho Humano, dando ênfase principalmente ao Treinamento Individualizado para corredores, triatletas, ciclistas, nadadores e jogadores de futebol.

A bastante tempo venho trabalhando com as modalidades acima citadas, são vários iniciantes no esporte participando nas mais diversas competições, como rústicas, maratonas, até o momento a metodologia aplicada obteve 100% de aprovação na preparação das pessoas que me procuram não só atletas como para concursos como delegado, polícia federal, ABIN...
A paixão pelo futebol também tem trazido bons resultados no trabalho com jogadores profissionais que precisam de algo a mais e individualizado para atingirem o alto nível.

Tudo isso graças ao forte embasamento teórico com a experiência prática!

Estarei a disposição para esclarecer dúvidas e quando possível fornecer artigos científico para pesquisas.

Até!!!